Home / Blog / Modelos autistas superam barreiras e fazem sucesso

Modelos autistas superam barreiras e fazem sucesso

Dia Mundial de Conscientização do Autismo, celebrado na segunda-feira (2) chama a atenção da sociedade para a luta por direitos iguais, bem-estar e inclusão das pessoas que nasceram com o distúrbio. É importante lembrar que TEA (Transtorno do Espectro Autista) não é doença.

Trata-se de um grupo de desordens complexas do desenvolvimento do cérebro que podem levar à dificuldade de comunicação e comportamentos repetitivos, por exemplo.

Também é preciso ressaltar as dificuldades no diagnóstico de mulheres com o transtorno. As principais pesquisas que desvendaram o autismo se basearam em indivíduos do sexo masculino. Assim, casos mais leves em meninas acabam sendo confundidos com outros transtornos, como TOC (Transtorno Obsessivo-Compulsivo) e TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade).

Até recentemente, o caso da zootecnista americana Temple Grandin, conhecida mundialmente por seu trabalho de conscientização do autismo, era considerado exceção, já que, pela visão tradicional do autismo, apenas uma em cada cinco crianças que apresentam o distúrbio é menina.

Quando falamos de pessoas autistas e com inteligência acima da média, como é o caso de Temple, a diferença é ainda maior: apenas 10% são meninas. Mas estudos recentes chamam a atenção para a necessidade de falar sobre como o transtorno se manifesta no sexo feminino, além de mostrar exemplos de inclusão social para meninas com o distúrbio.

Em uma palestra no TED Talks (série de conferências realizada em diversos países) chamada “O mundo precisa de todos os tipos de pessoas”, em tradução literal, Temple fala sobre o espectro autista.

Modelos autistas superam barreiras

Com mitos sendo substituídos pela disseminação de informações a respeito do distúrbio, a aceitação e, mais do que isso, a inclusão de pessoas que fazem parte do espectro tem ganhado espaço, inclusive no mundo da moda.

Em Gana, país localizado na África Ocidental, um grupo de meninas modelos com autismo vem combatendo o preconceito e mostrando que a beleza vai muito além da estética e dos padrões.

As quatro jovens foram premiadas com a Autism Awareness Star (Estrelas de Consciência do Autismo, em tradução livre) da da instituição de caridade Neesimsug Ghana Foundation, pelo compromisso com o empoderamento da imagem feminina. Além disso, se tornaram garotas-propagandas de uma companhia de água da região.

“Há sempre um lado positivo para toda situação negativa”, diz Mary Amoah, mãe de uma das modelos, em entrevista à BBC. Para incentivar a filha a explorar a sua beleza sem receios, ela fotografava a menina e improvisava desfiles em casa para deixá-la mais confiante.

Outro exemplo é o da americana Heather Kuzmich, que ficou conhecida ao participar do reality show America’s Next Top Model. Durante o programa, foi revelado que Heather tem Síndrome de Asperger, condição psiquiátrica do espectro autista caracterizada por dificuldades na interação social e comunicação não-verbal e TDAH.

Após ficar classificada em quarto lugar na competição, a jovem assinou contrato com a agência de modelos Elite Model, participou de um clipe do cantor espanhol Enrique Iglesias e também foi capa da revista Spectrum.

__________

Fonte: Mulher.com.br

Sobre admsilvio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *